domingo, 24 de julho de 2011

Rituais de Passagem

Olhamos a vida como um fluxo contínuo. E é. Ela é una. Mas a vida em sociedade se divide em etapas. O culto a determinadas conquistas nos faz ver a vida do indivíduo marcada por fases. 
É disto que se constitui a cultura: o registro do culto à vida dos indivíduos, num ritual de passagem entre a vida particular e a social, em determinada época; pelo fato de ninguém se realizar sozinho: aniversários, batismos, casamentos, formaturas etc, inclusive funerais, pela dor da morte, todos são cultos à vida. 
Contudo, são apenas ritos de passagem. Pois o indivíduo passa, mas a vida continua. Por isso perfazem a memória de uma sociedade. 
Sabemos o que nos leva ao rito. Mas, aonde ele nos leva? O que vislumbramos na passagem? Tem futuro isto? Afinal, o que isto pode nos dizer de nossa humanidade? 
Ocorreu um erro neste gadget