sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Versos e Ventos


E eu te fiz mil versos 
Que se foram no tempo
Sem serem lidos
Passaram-te como o vento
Embaraçando-te
E causando arrepios
Agora vagam a ermo
Em cantos 
De versos
Perdidos
Na vastidão do deserto
Da memória 
Dos desencantos
vividos!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Amor e Carícia: ou Quase

Desculpa! Apenas quero lhe falar
Pois nem tenho quem me ouça
Por favor, não se constranja em saber:
Ontem, mais uma vez
Seu nome quase me escapou
Da boca
Aos lábios de outro amor
Por pouco não se fez injustiça
Ao prazer de quem não se culpa
No sábio riso armado
Da amante amada carícia...
(K. E.)


Ocorreu um erro neste gadget