terça-feira, 27 de novembro de 2012

Comentário ao texto de Danuza Leão conforme publicado no blog de Ailton Medeiros

Maria Antonieta, quem diria, mora em Ipanema (blog de Ailton Medeiros)

Segundo Aílton Medeiros, Danuza Leão diz: “Viajar ficou banal e a pergunta é: o que se pode fazer de diferente, original, para deslumbrar os amigos e mostrar que se é um ser raro, com imaginação e criatividade, diferente do resto da humanidade?
Certamente, “imaginação e criatividade” é o que nunca teve quem se incomoda por que outros agora podem desfrutar do que ele(a) podia há tempos; contudo, sem jamais descobrir como fazer algo novo, “diferente, original”. 
Afinal, ela não fazia por si mesma, mas apenas “para deslumbrar os amigos”… ‘amigos’ que não podiam gozar do que ela podia… senão nem se deslumbrariam.
A pergunta é: seu gozo era pelas viagens ou pelo deslumbre de poder sobre os “amigos”? 
E ela é amiga desses ditos ‘amigos’? 
Ademais, como saber que o livro é “mesmo bom” sem o ler? - como conclui a "Maria Antonieta de Ipanema". Será que até suas leituras, tal como as viagens, eram apenas cópias do que “os mais ricos” faziam? 
Que pena! Seu poder era ilusório, restrito a sua ínfima visão pequeno-burguesa, repleta de preconceitos e de interesses particulares, que tão bem caracteriza a mentalidade estúpida da direita política brasileira.
Ocorreu um erro neste gadget