sábado, 5 de novembro de 2011

Aluno e Criança

Parece-me que os alunos que só se preocupam com a nota a ser atribuída pelo professor, como resultado de sua avaliação, são análogos às crianças que se interessam pelo dinheiro que costumam receber como presente dos avós ou tios. Ambos, aluno e criança, parecem acreditar que aquele é o maior e melhor objetivo da sua experiência.
Isso significa que tanto o professor que adora dar nota a alunos, para que eles o incluam na lista de professores bonzinhos, quanto o parente que utiliza dinheiro como presente a uma criança, para compensar o tempo e carinho que não lhe são dedicados, ambos não percebem que estão apenas criando uns viciados em pedir: - “Professor, preciso de 8, pra passar”. “Tio, me dê 1 real”. “Professor, seja bonzinho, senão vai ficar todo mundo reprovado”. “Ô, tio, se você não me der eu não vou mais encher a minha porquinha”. “Professor, o trabalho vale quanto?”. “Mãe, você me dá quanto pra eu limpar minha mochila?
O aluno, então, já não faz mais qualquer atividade que não seja valendo nota, assim como a criança, que  sempre pede uma nota ou uma moeda. Isso, mesmo quando a tarefa é dever deles próprios, a qual visa à aprendizagem educacional ou para a vida. 
E o pior é que o educador está deseducando. E o parente também. E no final, todos reclamam que há uma crise de valores, porque a educação não serve mais para nada. E ainda acusam a justiça, a política, o governo, sem lembrar que todo esse sistema é reflexo do que seus educadores fizeram com aqueles e do que estes fazem com os seus educandos, ou seja, com aqueles cuja aprendizagem está sob sua responsabilidade: criança e aluno.

3 comentários:

Anônimo disse...

Concordo! É até verdade que o aluno e a criança "merecem" ou "precisam" ser recompensados pelos seus feitos, digamos que, pelo sistema em que vivemos, com notas e "presentes", que no caso do seu texto trata-se do dinheiro que os parentes dão as crianças, mas como aluna e professora e até como uma ex criança rsrsrs... devemos interiorizar que o verdadiro valor está na nossa formação, privilegio dos seres humanos, o que realmente importa é obtermos a "aprendedizagem educacional e para a vida" que irá proporcionar o crescimento pessoal.

Anônimo disse...

William o anônimo sou eu, Luana.
Abraço!

Will Coelho disse...

Obrigado, Luana! Muito pertinente sua observação.

Ocorreu um erro neste gadget